sexta-feira, 30 de maio de 2008

Neuropatia Periférica

NEUROPATIAS PERIFÉRICAS

29 05 2008
INTRODUÇÃO
As lesões dos nervos periféricos apresentam alterações funcionais tanto sensitivas quanto motoras, e se não forem adequadamente tratadas, podem provocar um déficit importante, com prejuízos na qualidade de vida dos pacientes.
As lesões nervosas periféricas se dividem em neuropraxia quando há perda da condutividade elétrica em determinado segmento da fibra nervosa, axonotmese quando há degeneração walleriana do axônio e neurotmese quando afeta todas as fibras do nervo.
A Neuropatia Periférica é um distúrbio funcional ou orgânico do sistema nervoso periférico e sua apresentação clinica pode ser classificada em: mononeuropatia, mononeuropatia múltipla, polineuropatia e polirradiculoneurítico ou polirradiculopatia, suas causas podem ser diversas, tais como: Distúrbios hereditários, tumores, doenças auto-imunes, dentre outras. Diversos fatores devem ser considerados no momento do diagnóstico e do tratamento e este deve ser feito por uma equipe multidisciplinar.
2. NEUROPATIA PERIFÉRICA
2.1 Aspectos Gerais
O Sistema Nervoso se divide em Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico.
clip_image002
O Sistema Nervoso Periférico (SNP) é a parte do sistema nervoso que se encontra fora do sistema nervoso central (SNC), é constituído pelos gânglios nervosos (aglomerados de corpos celulares de neurônios localizados fora do sistema nervoso central) e pelos nervos (feixes de fibras nervosas envoltas por uma capa de tecido conjuntivo) As fibras que constituem os nervos são em geral mielínicas com neurilema.
São três as bainhas conjuntivas que entram na constituição de um nervo: epineuro (envolve todo o nervo e emite septos para seu interior), perineuro (envolve os feixes de fibras nervosas), endoneuro (trama delicada de tecido conjuntivo frouxo que envolve cada fibra nervosa). As bainhas conjuntivas conferem grande resistência aos nervos sendo mais espessas nos nervos superficiais, pois estes são mais expostos aos traumatismos.
A função do SNP é conectar o sistema nervoso central às diversas partes do corpo humano.
Os nervos desse sistema se dividem em dois grandes grupos: os nervos cranianos (são os nervos ligados ao encéfalo, estão em número de doze pares, responsáveis pela intervenção dos órgãos do sentido, dos músculos e glândulas da cabeça, e também de alguns órgãos internos) e os nervos espinhais ou raquidianos (dispõe-se em pares ao longo da medula, um par por vértebra).
clip_image0032.2 Divisão funcional do SNP
O sistema nervoso periférico pode ser dividido funcionalmente em dois grupos de nervos: SNP Somático ou Voluntário e SNP Autônomo, Involuntário ou Visceral;
SNP Somático ou Voluntário – possui ações voluntária ou dependente de nossa vontade, tem por função reagir a estímulos provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos esqueléticos (porém ele também possui fibras que controlam os reflexos. Exemplo, puxar o pé ao pisar em um prego é um reflexo controlado pelo SNS, mas que ocorre automaticamente antes que se tenha consciência do estimulo).
SNP Autônomo, Involuntário ou Visceral – comandam atividades involuntárias e tem por função regular o ambiente interno do corpo, controlando atividades do sistema digestivo, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele contém fibras nervosas que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras e à musculatura do coração.
O SNP Autônomo se divide em: SNP Autônomo Simpático e SNP Autônomo Parassimpático
Eles se distinguem tanto pela estrutura quanto pela função. Enquanto os gânglios das vias parassimpáticas estão próximo ou mesmo dentro do órgão efetuador, os gânglios da via simpática localizam-se ao lado da medula espinal, distante do órgão efetuador.
clip_image005
As fibras nervosas simpáticas e parassimpáticas inervam os mesmos órgãos, mas trabalham em oposição. Enquanto um dos ramos estimula determinado órgão, o outro o inibe. Essa ação antagônica mantém o funcionamento equilibrado dos órgãos internos.
O SNPA simpático, de modo geral, estimula ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo responder a situações de estresse. Por exemplo, o SNPA simpático é responsável pela aceleração dos batimentos cardíacos, e pela ativação do metabolismo geral do corpo.
Já o SNPA parassimpático estimula principalmente atividades relaxantes, como a redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
É graças ao SNP que o cérebro e a medula espinhal recebem e enviam as informações permitindo-nos reagir às diferentes situações que têm origem no meio externo ou interno, porém os nervos periféricos são frequentemente traumatizados, resultando esmagamentos ou secções que trazem como conseqüência perda da sensibilidade e da motricidade no território inervado, as lesões nervosas periféricas são comuns, e não há uma fórmula facilmente disponível para o sucesso do seu tratamento, sendo que as lesões incompletas são as mais freqüentes.
3. NEUROPATIA PERIFÉRICA
Neuropatia Periférica é um distúrbio funcional ou orgânico do sistema nervoso periférico; degeneração do nervo periférico que supre as extremidades, causando perda da sensação, fraqueza muscular e atrofia.
(Dicionário de Terapia Ocupacional, 2006).
3.1 Fisiopatologia das lesões nervosas periféricas
Seddon classificou as lesões nervosas em três categorias: neuropraxia, axonotmese e neurotmese.
clip_image007
Neuropraxia axonotmese neurotmese
l Neuropraxia é quando há perda transitória da condutividade elétrica de determinado segmento da fibra nervosa, sem perda de continuidade e com preservação anatômica de todos os seus elementos. Geralmente resulta em perda temporária da função, que se recupera completamente após alguns dias. A sensibilidade geralmente está preservada, podendo haver apenas disestesias (sensação de alfinetadas e agulhadas que a pessoa sente quando uma de suas extremidades adormece). A estimulação nervosa em pontos proximais à lesão resulta em ausência de respostas distais. No entanto, a estimulação nervosa abaixo do local da neuropraxia não revela anormalidades. A avaliação muscular não mostra sinais de desnervação muscular.
l Na axonotmese há “degeneração walleriana” do axônio, com solução de continuidade e fragmentação distal da fibra. Se for mantida a integridade da membrana axonal e principalmente das células de Schwann. A axonotmese resulta em interrupção imediata da condução nervosa do axônio afetado.
l A neurotmese afeta todas as fibras do nervo e observa-se ausência total de respostas nos segmentos distais à lesão. O quadro se manifesta com paralisias periféricas, atrofias e degenerações musculares. A regeneração é menos bem-sucedida que um axonotmese.
A manifestação clinica nas lesões nervosas periféricas variam de acordo com o grau e o tipo da lesão, assim como dependem da área anatômica inervada pelo nervo, ou nervos afetados.
3.2 Classificação das Neuropatias Periféricas
Embora o número de etiologias das Neuropatias Periféricas (NP) seja muito grande, sua apresentação clínica é mais limitada. Desse modo, as NP podem ser classificadas de acordo com seis parâmetros principais:
1. Velocidade de instalação: aguda (menos de uma semana); subaguda (menos de um mês); crônica (mais de um mês);
2. Tipo de fibra nervosa envolvida: motora, sensitiva, autonômica ou mista;
3. Tamanho de fibra nervosa envolvida: grossa, fina ou mista;
4. Distribuição: proximal, distal, difusa;
5. Padrão: mononeuropatia, mononeuropatia múltipla, polineuropatia e polirradiculoneurítico;
6. Patologia: degeneração axonal, desmielinização segmentar e mista;
Quanto ao padrão de envolvimento do SNP, devem-se distinguir dois grupos de NP:
O primeiro grupo denominado como polineuropatias ocorre quando as doenças causam alteração da função dos nervos periféricos de modo simétrico, distal e bilateral ou polirradiculopatia ou polirradiculoneuropatia se há envolvimento de raízes espinhais ou raízes e troncos dos nervos periféricos;
Existem diversos tipos de polineuropatias:
1. Polineuropatias Axonais Sensoriais e Motoras Agudas (Neuropatias tóxicas), e Crônicas (Diabetes);
2. Polineuropatias Axonais Predominantemente Motoras Agudas (Polineuropatia axonal motora aguda), e Crônicas (Intoxicação por chumbo);
3. Polineuropatias Axonais Sensoriais Agudas (associadas à infecção por HIV) e Crônicas (Deficiência de vitamina E);
4. Polineuropatias Desmielinizantes Predominantemente Motoras Agudas (Difteria) e Motoras e Sensoriais Crônicas (Hanseníase);
A polineuropatia possui muitas causas diferentes, uma infecção, uma reação auto-imune, substâncias tóxica, um câncer, deficiências nutricionais e os distúrbios metabólicos como a deficiência de vitamina B que afeta os nervos periféricos de todo o corpo.
O segundo grupo é denominado de mononeuropatia e compreende lesão focal de um nervo periférico, ou multineuropatias que acometem múltiplos nervos, sendo às vezes chamada de Mononeuropatia Múltipla, Neuropatia Múltipla, ou melhor, ainda de Multineuropatia. É de acometimento assimétrico e irregular, afeta nervos diferentes em cada segmento do corpo e ainda às vezes os mesmos nervos, mas, em fases diferentes de evolução. Em suas fases mais avançadas, quando se apresenta como quadros crônicos confluentes, pode nos confundir, e nos fazer pensar em uma polineuropatia.
Na Mononeuropatia o traumatismo é a causa mais comum. A lesão também pode ser causada pela pressão prolongada sobre um nervo superficial em locais onde existem proeminências ósseas como o cotovelo, a compressão durante o sono profundo pode ser suficientemente prolongada para lesar um nervo – especialmente nos indivíduos que se encontram anestesiados ou bêbados, nos indivíduos idosos confinados ao leito e naqueles paralisados. Os nervos também podem ser lesados durante atividades muito intensas, ou em um acidente. Um aparelho gessado mal feito, o uso inadequado de muletas.
Certos nervos periféricos são lesados mais freqüentemente que outros por causa de sua localização mais vulnerável, como no caso do nervo mediano no punho (cujo comprometimento resulta na síndrome do túnel do carpo).
De maneira geral acomete preferencialmente e inicialmente os MMII, não sendo isto uma regra geral.
3.3 Causas Principais
As causas das neuropatias periféricas são diversas como:
uDistúrbios hereditários (doença de Charcot-Marie-Tooth);
uDistúrbios sistêmicos metabólicos (Diabetes Melito, Deficiências Alimentares, consumo habitual de Álcool);
uTumores (Câncer, Linfoma);
uQuadros infecciosos ou inflamatórios (AIDS, Hanseníase - já foi uma das principais causas de neuropatia-, Sífilis, Lupo);
uExposição a compostos tóxicos (chumbo, mercúrio);
uMedicamentos (antiinfecciosos, anticâncer, anticonvulsivos);
3.4 Sinais e Sintomas
Há uma série de sinais e sintomas que podem ser: motores, sensitivos, reflexos, autonômicos e tróficos relativamente típicos da doença do nervo periférico.
· Alteração da função motora: fraqueza muscular, hipotonia e atrofia muscular;
· Reflexos profundos: a perda dos reflexos profundo na NP é comum;
· Alteração da Sensibilidade: tátil, térmica, dolorosa, vibratória todas são comprometidas, há parestesias freqüentes, hiperestesias, hiperpatia;
· Ataxia sensitiva e tremor podem estar presentes principalmente nos membros superiores;
· Alterações Tróficas e Deformidades: atrofia por denervação, deformidades de pés, mãos e coluna;
· Alterações autonômicas: anidrose (doença da pele em que há redução ou ausência da secreção do suor) e hipoextensão ostática são as manifestações mais freqüentes;
Outras alterações são: impotência sexual, dilatação do cólon e do esôfago, falta de lagrimas e saliva, perda de movimento parcial ou total, falta parcial ou total no controle dos movimentos, perda de sensibilidade, dificuldade de respiração, úlceras de pele, baixa auto-estima, difícil cicatrização, outras deformidades.
Os sintomas variam de acordo com o grau de acometimento de cada neuropatia
3.5 Diagnóstico
O exame físico e exames especiais como a eletromiografia (exame que consiste na captação e registro da atividade elétrica dos músculos em repouso através de um sistema que amplia muitas vezes os potenciais provenientes das fibras musculares e de grande importância para diferenciar uma neuropatia de uma miopatia – afecções musculares), exames hematológicos e bioquímicos, estudo do líquido cefalorraqueano (LCR), biópsia do nervo sural, sendo que sua causa deve ser investigada, se for um distúrbio metabólico e não uma lesão física o exame de sangue pode revelar o problema subjacente, exames de urina pode revelar uma intoxicação por metais pesados.
Segundo dados de literatura, dos casos diagnosticados de neuropatia, cerca de 25 % em média, ainda permanecem sem diagnóstico etiológico, a despeito de toda propedêutica, mesmo nos centros mais sofisticados.
3.6 Tratamento
O tratamento pode ser a cura do distúrbio (se possível) ou proporcionar uma maior independência e capacidade de cuidar de si mesmo ensinando o paciente a fazer a inspeção com espelho em caso de perda da sensibilidade, por exemplo, assim como também pode ser o controle dos sintomas.
Os exercícios podem ser utilizados para aumentar a força e o controle muscular. O uso de bengalas, muletas, cadeiras de rodas, aparelhos ortopédicos e talas podem melhorar a mobilidade, a capacidade para utilizar uma extremidade afetada, ou impedir deformidades.
Nem a neuropraxia nem a axonotmese requer intervenção cirúrgica, a menos que haja necessidade de aliviar a pressão no nervo. Uma neurotmese precisa ser suturada se houver alguma chance de recuperação.
clip_image009
O tratamento é multidisciplinar, incluindo a intervenção de fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e terapeutas ocupacionais, entre outros.
3.8 Objetivos básicos do tratamento:
u Prevenir ou reduzir edema
O paciente deve aprender como posicionar o membro, particularmente em repouso, e receber aconselhamento geral sobre a prevenção do edema. Pode haver problemas se houver outras lesões associadas que impeçam o posicionamento adequado e o movimento.
O movimento é muito importante por causa da ação do bombeamento dos músculos sobre os vasos e o movimento ativo das articulações, que estira e comprime os vasos, mantendo assim uma circulação adequada. Se isso não for possível, os movimentos passivos ajudam a manter a circulação. A massagem pode ser feita para reduzir o edema, idealmente, com o membro na posição elevada.
u Manter a circulação na área afetada
Uma desaceleração na circulação reduz o suprimento efetivo de nutrição para os tecidos e a remoção dos produtos de detritos. Os movimentos ativos são o melhor meio de prevenir essa desaceleração, mas os movimentos passivos e a massagem ajudam se houver paralisia.
u Prevenir contraturas
É essencial prevenir o desenvolvimento de qualquer contratura que poderia impedir a recuperação. Os movimentos passivos devem ser realizados para manter a variação total de movimentos articulares e para manter o comprimento total dos músculos. Os movimentos passivos devem ser realizados diariamente, pois a rigidez pode se desenvolver muito rapidamente.
u Manter atividade e a força dos músculos não afetados
O paciente deve ser encorajado a usar os músculos não afetados do membro. Se isso não for possível por causa da paralisia, o terapeuta deve ser capaz de facilitar o movimento apoiando o membro ou a tala funcional, permitindo que os movimentos ocorram. A falta de controle muscular aumenta o risco de quedas ou outras lesões.
u Manter a função
O paciente deve ser encorajado a usar o membro o máximo possível. O uso de talas bem desenhadas e bem aplicadas (talas funcionais) pode permitir certa atividade funcional.
u Estágio de recuperação
Em um nervo misto, o programa de recuperação inclui a reeducação motora e sensorial. Dependendo do nervo e da extensão da perda motora e sensorial, a reeducação pode ser igualmente importante, especialmente no caso da mão.
u Reeducação muscular
Durante a realização de movimentos passivos antes que a recuperação ocorra, é bom que o paciente pense sobre o movimento desde que ele não cause muita ansiedade.
4. CONCLUSÃO
Ao final deste trabalho pudemos constatar que a neuropatia periférica é uma doença de causas múltiplas sendo algumas vezes difícil chegarem a um diagnóstico preciso.
Ela poderá ser tratada com sucesso dependendo do estágio em que sua causa foi identificada e do momento em foi iniciado o tratamento, assim como o grau de lesão ao se iniciar esse tratamento, limitando - se a alguns danos
O tratamento das Neuropatias Periféricas é multidisciplinar, devendo ter o Terapeuta Ocupacional como membro efetivo desta equipe.
Eliania Queiroz
Terapeuta Ocupacional
http://tocupacional.wordpress.com 







64 comentários:

  1. jiboaz@yahoo.com.br27 de dezembro de 2008 22:10

    Li com atenção esse trabalho e não encontrei como sintoma aquilo que foi diagnostificado em mim como sendo NEUROPATIA PERIFÉRICA, e que se manifesta como uma sensação de queimação, - como se estivesse pisando em brasas- NA região da planta dos pés, próxima aos dedos.
    Tomo CARBAMAZEPINA, eventualmente, quando a dor é muito forte. Em geral, meu analgésico é mergulhar aos pés em uma bacia com agua e gelo, que resolve instantaneamente.
    Será que meu mal é mesmo neuropatia periférica?
    Desde já agradeço a atenção.
    José Inácio C. Boaz

    ResponderExcluir
  2. existem várias formas de neuropatia , sintomas e possíveis causas, vc deve confiar em seu médico, se não está seguro,procure outra opinião com outro médico, vou postar um artigo sobre deficiência vitaminica,d~e uma lida
    abraços e melhoras

    ResponderExcluir
  3. Boa noite
    Li e achei interessante e oportuno. Há algum tempo sinto uma certa dormência na pele da coxa direita e segue como se a pele estivesse dolorida. Tentei dermatologista, mas na hora da consulta nõao há dor e nehum sintoma na pele. Ouvi sobre a NP. Será que me enquadro? Sou HIV+ com CD4 >500 e CV <50. Faço uso corretamente da medicação.

    ResponderExcluir
  4. -Neuropatias sensoriais

    -Neuropatia sensorial paraneoplásica

    -Neuropatia sensorial com sindrome sicca

    -Toxicidade a vitamina B6

    -Cisplatina e análogos

    -Neuropatia sensorial idiopática

    -Relacionada a AIDS (rara)

    ResponderExcluir
  5. Leo, procure um neurologista, ele vai te ajudar
    boa sorte

    ResponderExcluir
  6. eu fiz ontem uma eletroneuromiografia na perna esquerda, pois a 8 meses sinto fortes dores na perna e os medicos não sabe o que é, doi 24 horas por dia, não tenho força mais na perna, na panturrilha sinto ela gelada, e se colocar a mão ela está gelada, para dormir é pior, o peso da coberta doi, ando mancando e bem devagar pois doi, para subir e descer rua nem se fala, não posso ficar sentada e nem muito em pé. o que pode ser. o medico tirou os remedios pois não faz efeitos nenhum. os sintomas vão aumentando, pois no começo centralizava no joelho, e agora e toda a perna.

    ResponderExcluir
  7. olá Juliana, reenviei o texto onde vc pode estar incerida, porém toda doença de nervos periféricos, é de demorado diagnóstico e multiplas investigações, vc deveria procurar outro neurologista para tentar encontrar um diagnóstico
    não fique nervosa, tenha calma, eu levei 4 anos para descobrir o diagnótico, ok/
    entregue a Deus e peça orientações a vários médicos
    boa sorte
    A polineuropatia possui muitas causas diferentes, uma infecção, uma reação auto-imune, substâncias tóxica, um câncer, deficiências nutricionais e os distúrbios metabólicos como a deficiência de vitamina B que afeta os nervos periféricos de todo o corpo.

    O segundo grupo é denominado de mononeuropatia e compreende lesão focal de um nervo periférico, ou multineuropatias que acometem múltiplos nervos, sendo às vezes chamada de Mononeuropatia Múltipla, Neuropatia Múltipla, ou melhor, ainda de Multineuropatia. É de acometimento assimétrico e irregular, afeta nervos diferentes em cada segmento do corpo e ainda às vezes os mesmos nervos, mas, em fases diferentes de evolução. Em suas fases mais avançadas, quando se apresenta como quadros crônicos confluentes, pode nos confundir, e nos fazer pensar em uma polineuropatia.

    Na Mononeuropatia o traumatismo é a causa mais comum. A lesão também pode ser causada pela pressão prolongada sobre um nervo superficial em locais onde existem proeminências ósseas como o cotovelo, a compressão durante o sono profundo pode ser suficientemente prolongada para lesar um nervo – especialmente nos indivíduos que se encontram anestesiados ou bêbados, nos indivíduos idosos confinados ao leito e naqueles paralisados. Os nervos também podem ser lesados durante atividades muito intensas, ou em um acidente. Um aparelho gessado mal feito, o uso inadequado de muletas.

    Certos nervos periféricos são lesados mais freqüentemente que outros por causa de sua localização mais vulnerável, como no caso do nervo mediano no punho (cujo comprometimento resulta na síndrome do túnel do carpo).

    De maneira geral acomete preferencialmente e inicialmente os MMII, não sendo isto uma regra geral.

    ResponderExcluir
  8. recebi o resultado, e não deu nada, porém de algum lugar tem que vir, será que não é arterial, pelo motivo de minha perna ficar gelada?

    ResponderExcluir
  9. Juliana, procure um reumatologista e um angiologista, vc terá seu diagnóstico e não fique preocupada, faça compressas com água quente e não se descuide
    boa sorte e mande notícias

    ResponderExcluir
  10. ola,
    meu nome é cleuza, venho sofrendo de coluna desde a adolecencia, mas nos ultimos 5 anos sinto
    dores agudas q me levam a ficar internada sempre
    trato com 1 ortopedista e 1 neurologista... ontem meu neurologista disse q tenho neuropatia estou em desespero...ha muito tempo ñ consigo ficar muito de pé nem sentada vivo mais é deitada
    o q devo fazer pra melhorar minha qualidade de vida? como recebi o diagnostico ontem estou em total desespero.... o q faço?

    ResponderExcluir
  11. Cleuza, todo probçlema de coluna gera neuropatia, pq os nervos periféricos saem dda coluna , portanto não é nada de que vc tenha que se preocupar

    qt as dores, realmente são terríveis porém, se vc ficar só na cama, a tendência será atrofia e mais dores.
    tente fazer algum eercício, mesmo que seja alogamento e caminhe, vc vai melhorar com certeza
    se cuide e não se desespere pq o stress só piora.
    u abraço

    ResponderExcluir
  12. VENHO APRESENTANDO POLINEUROPATIA DESDE QUE INICIEI TRATAMENTO PARA TUBERCULOSE .SEM SASABER O PQ DOS FORMIGAMENTOS EM MEUS MEMBROS DISTAIS SUPERIORES E INFERIORES PROCUREI UM NEUROLOGISTA QUE ME INDICOU A COLETA DE LIQUOR SEM NEMHUM RESULTADO RELEVANTE POREM A ELETRONEUROMIOGRAFIA ACUSOU DISTURBIOS .NO MOMENTO JÁ ESTOU NO SEGUNDO NEURO QUE ME PEDIU OUTRA ELETRONEUROMIOGRAFIA ,POREM O EXAME É CARO E NO MOMENTO NÃO TENHO CONDIÇÕES DE FAZER .O PRIMEIRO NEURO ALEGA QUE FOI DA PYROZINAMIDA POREM SEM CERTEZA ,ESTOU ENLOUQUECENDO POIS SOU HIPERATIVA SOU DA AREA DA SAÚDE E SINCERAMENTE JA NÃO SEI MAIS A QUEM RECORRER .VCS PODERIAM ME DAR UMA SUGESTÃO

    ResponderExcluir
  13. olá,
    muita calma, existem vários tipos de neuropatia e por inúmeras causas.

    infelizmente,o tratamento, são para os sintomas e para a doença de base
    Tente procurar um neuro com essa mesma eletroneuromiografia e explique a falta de condições de repeti-la agora.
    muitos diagnósticos nessa área levam meses e até anos para serem fechados. já tentou complexo B?
    relaxe e não desista
    boa sorte

    ResponderExcluir
  14. boa noite
    meu nome é Takaiuki
    Tive um cancer de colom com metástase hepática
    Fiz quimioterapia pesada, durante o tratamento
    o meu onco me disse que se sentisse algumas fisgadas na extremidades dos dedões dos pes ou nas dos dedos, que eu ficasse tranquilo pois seria o efeito do medicamento oloxaplatina e quecom o tempo iria passar.
    Pois então, ja se passara 2 anos que terminei a quimio.
    Resultado: fui em tudo que é especialista, varios neurologistas, medico de dor, fisioterapia, acumpuntura, fiz exame de liquor.
    eletromineografia,tomei varios medicamentos a seguir: gabapentina,etna(nucleo cmp),Tegretol,
    Lyrica etc. Fiz choque térmico, imersão em agua quente e imersão em agua com gelo, resultado comecei a sentir fortes dores musculares, e então parei. Não pude mais praticar tenis devido ao impacto. Não posso carregar sacola de feira, pois o formigamento aumenta e so diminui com o tempo, mas não acaba
    Ainda tenho esperança de eencontrar alguma solução; quem sabe você possa me ajudar a solucionar ou amenizar este problema.

    ResponderExcluir
  15. TAKAIUKI,
    você não imagina o quanto eu gostaria de te ajudar, mas pelo visto você já fez acupuntura,medicações de ponta.
    quem sabe com um tratamento de relaxamento, hidroterapia, não ajude
    torço por você
    um abraço

    ResponderExcluir
  16. estou muito angustiada diagnosticaram-me neuropatia dejerine sottas a 20 anos,ate entao sentia me bem ,ultimamente piorei existe medicação para o efeito

    ResponderExcluir
  17. Ane Coelho BFP
    de Takaiuki, quero lhe agradecer pela seu diagnostico, parece que o jeito é conviver com o problema e procurar alternativas, só não fiz hidroterapia, vou tentar.
    Muito Obrigado.......e continue fazendo seu belo e dadivoso trabalho.

    ResponderExcluir
  18. ha tempos tenho feito tratamento para Artrite e agora uma médica disse que eu posso estar com problemas de nervos... e agora? Isso procede?

    ResponderExcluir
  19. OLA,Anônimo tenho um irmão potador de dejerine sottas, gostaria de mais detalhes, por favor...

    ResponderExcluir
  20. olá, vc que tem artrite ,
    as neuropatias podem ter origem em doenças autoimunes, procede sim, se cuide

    ResponderExcluir
  21. http://www.lookfortherapy.com/mesh_info.php?term=Doen%C3%A7as+Tal%C3%A2micas&lang=3

    Sindrome dijerine

    boa sorte
    um abraço

    ResponderExcluir
  22. Ane: Achei bem interessante e elucidativo o seu BLOG, pois assuntos como "Dores Crônicas" não são tão fáceis de serem tratados. Tenho uma pessoa que amo muito e "ainda nnão conseguiu um diagnóstico para as DORES FORTÍSSIMAS QUE SENTE NAS PERNAS, já faz 4 meses, chora todas as noites de dor, não existe analgésico que resolva. Esta pessoa já fez várias consultas e faz tratamento neurológico(humor...).No momento foi diagnosticada como tendo uma neuropatia, mas o "especialista" não tem certeza do diagnóstico apresentado e essa pessoa que tanto amo...continua chorando todas as noites DE DOR NAS PERNAS. No momento está tomando Tegretol, você considera que esse medicamento possa ser uma "luz no fim do túnel" para essa moça, tão jovem e tão sofredora...? Obrigada desde já. Sônia

    ResponderExcluir
  23. Olá,
    nas dores neuropáticas esse medicamento é bastante usado sim, mas já tentou ir a um reumatologista?

    boa sorte e obrigada

    ResponderExcluir
  24. Oi! Meu nome é André Luiz. A 3 anos foi detectado em mim uma Mononeuropatia multipla degenerativa, começou com dormencia (que continua até hoje) na parte externa da coxa direita, sinto dores fortissimas no dorço dos pés e na planta dos mesmos; não posso ficar muito tempo em pé nem sentado, caso contrário sinto dores incontroláveis nos pés e em alguns pontos das pernas e coluna. Sempre alivia com massagens no local da dor (temporário). Faço uso a anos de Gabapentina de 300 mg, Mirtax ou Cizax de 10mg, Cloridrato de Amitripitilina 25 mg ( 2 unid. diárias), Tilex ( Que não resolve + as dores), Rivotril ( para dormir quando estou com muitas dores) e omeprazol de 20 mg devido ao uso de muitos medicamentos para não atacar o estomago. De um ano pra cá sinto fortes dores de cabeça na região da fronte esquerda associado a dores no globo ocular como se estivesse apertando o mesmo. Com todos esses problemas e todas essas medicaçoes que faço uso, estou seriamente prejudicado em meu trabalho. E não vejo melhoras aparentes apesar de usar todos medicamentos a bastante tempo. O que devo fazer.

    ResponderExcluir
  25. olá André Luiz

    Se você não sente nenhuma melhora, aconselho a buscar outro neurologista ou mesmo um médico especialista em dor.
    desejo melhoras
    um abraço

    ResponderExcluir
  26. A minha irmã foi num reumatologista e com um exame de sangue e examinando-a ele concluiu que a dor na parte depois do dedão onde pisa é do nervo e pediu uma eletroneuromiografia com a indicação clínica: neuropatia parestesia. Passou o remédio Etna para ela tomar. Ela ainda não começou a tomá-lo, pois toma diublok para regular a pressão que vive alta depois de tomar(e ainda toma) predsin que nunca melhorou a dor que é só no pé esquerdo, mas ele já mandou ir parando aos poucos. E ela também está com uma infecção urinária e está no 2º antibiótico (ciprofloxacino). Você acha que ela deve tomar o Etna? Ela já deu uma "apagada" sentindo fraqueza e mal-estar. Temos medo de misturar muitos remédios.Você acha que comiron ccom complexo B melhoraria as dores?
    Eu pesquisei cloreto de magnésio e autohemoterapia que parecem funcionar para muitas doenças, curar algumas ou mesmo abrandar sem efeitos colaterais. E conheci um rapaz que utiliza a autohemoterapia.Pesquisem. Bjs

    ResponderExcluir
  27. olá, Etna é uma associação de fosfato dissódico de citidina/uridina-5-trifosfato trissódica/acetato de hidroxocobalamina é uma associação medicamentosa utilizada pela medicina no restauro de lesões nervosas periféricas, tais como compressões apresentadas em lesão do plexo braquial, fraturas, entorses, lesões por vibração no estilo LER ou DORT, neuropatia diabética[1] entre outras.[2] o mediacamento citado não vai substutui-lo, converse com o médico dela, na verdade ele vai diminuir consideravelmente a dor
    coragem e melhoras pra sua irmã

    ResponderExcluir
  28. Olá, meu nome é Jose Melo e sou médico (não neurologista. Gotaria que me indicasse referencia bibliográfica para revisão de neuropatias relacionadas ao uso de estatinas e relacionada ao hipotireoidismo.
    Grato.

    ResponderExcluir
  29. Olá Boa Noite, estou com Mononeuropatia Multipla,sinto muitas dores em todo o corpo e o cirurgião so passou complexo B mais as Dores não passa são dores Cronicas, devo ir a outro Médico

    ResponderExcluir
  30. olá,
    o complexo B é excelente, porém, vc tem que investigar se tem outra doença de base, e procurar um médico da dor, ok?
    melhoras

    ResponderExcluir
  31. Ola,
    Sou diabetico tipo 2 não insulina dependente, tomo um medicamento chamado Janumet e a um ano venho mantendo minha Glicemia entre 100 e 115,e a Glicada nunca passa de 6,2.Agora apareceu um ardimento na sola e na parte superior dos meus pés. Ja fui a Reumatologista,ortopedista e eles me receitaram ETNA.Não estou vendo melhora.Qual seria o melhor tratamento?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  32. olá José Carlos,
    você deve procurar um neurologista, é muito comum ter neuropatia diabética e o melhor profissional é mesmo um bom neurologista, ok?
    tome complexo B
    melhoras

    ResponderExcluir
  33. Boa tarde
    Tenho um aluno que sofre de neuropatia-periférica danos causado pela diabetes.
    Notei que uma grande ajuda fica por conta de exercícios que ajudam a melhorar a circulação mas entre os portadores desta doença lê se que acontece uma queda da força e uma redução da massa muscular seria correto dizer que:
    O treinamento resistido através de teste de predição para 1RM assim tendo a noção da força máxima de cada membro do alunos, com um trabalho automatizado e dinâmico com cargas entre 55% a 85% da força máxima do examinado pode auxiliar no aumento da resistência, da massa muscular e da força muscular seria de extremo benefício para o aluno com este problema, você concorda?
    Claro que tudo muito bem monitorado, alem de ter que manter a glicemia do sangue o mais próximo possível do normal, como estudos recentes previne e ainda conto com a hiperglicemia na ocasião do treinamento.

    ResponderExcluir
  34. Há tempos sofro com queimação, fisgadas, ardência, na sola e peito dos pés, como também dormencia na ponta dos dedos. Fui a um ortopedista e ele diagnosticou "queda do metatarsso",indicou-me uma palmilha e compressa quente. Não adiantou nada,e os incômodos pioraram, principalmente a noite para dormir. Procurei então um acumpulturista, ele realmente disse que tenho esse problema,mas nada que justifique tanto incomodo,então ele sugeriu um problema neurológico.O que vc acha? Obrigada

    ResponderExcluir
  35. olá você deve procurar um neurologista, fazer um exame chamado eletroneuromiografia e potenciais evocados, para confirmar o diagnóstico
    melhoras

    ResponderExcluir
  36. Ane, sou favorável à disseminação do conhecimento como forma de atingir o maior número possível de pessoas. Entretanto, não concordo em infringir a autoria em prol disto. Assim, solicito os devidos créditos a este material que produzi enquanto acadêmica. Certa de sua ética.

    Eliania Queiroz
    Terapeuta Ocupacional
    http://tocupacional.wordpress.com

    ResponderExcluir
  37. peço desculpas pelo lapso,
    colocarei,obrigada

    ResponderExcluir
  38. Olá Ane, meu nome é Katarina. Muito bom seu blog. O que ocorre é o seguinte: fui a um neurologista porque estava sentindo algumas fisgadas na parte esquerda da cabeça, perto do pescoço, reclamei também de dores de cabeça e perda de sono no meio da noite. Ele me receitou "limbitrol" para relaxar e tirar um pouco a ansiedade. Antes de sair da consulta, comentei que estava esquecendo muito as coisas, por exemplo, fatos ocorridos dois ou três anos atrás, e ele me receitou ETNA. Gostaria de saber se esse ETNA tem algo a ver com tratamento de MEMÓRIA, já que, como você diz, é utilizado pela medicina no restauro de lesões nervosas periféricas.

    ResponderExcluir
  39. Katarina, hoje, se descobriu que um medicamento, mesmo tendo uma indicação específica, pode melhorar outras questões, portanto boa sorte no tratamento e obrigada por vc ter vindo ao meu blog
    bjks

    ResponderExcluir
  40. Ola Ane , meu nome é Marcio , e fiz uma cirurgia a 12 dias , lca no joelho, e logo percebi que o movimento do pé direito , nao faço movimento de elevar o pé e os dedos. só faço movimento para baixo , o garrote deveter passado do tempo ocasionando a lesão no nervo, acredito ser então uma Neuropraxia , existe algum medicamento?

    ResponderExcluir
  41. Ane, boa tarde
    Estou com neuropatia e meu ortopedista receitou gabapentina e citoneurim, que estou tomando há 1 mes, porém ainda não melhorou mto. Sinto fortes dores na lateral da coxa esquerda, parece que está rasgando minha pele e músculos, mais forte próximo ao joelho; formigamento mas mãos, coxa e do lado esquerdo das costas e tb sinto choques nas mãos. Li aqui que o tratamento é multidisciplinar, porém ele não me disse isso, nem me encaminhou a fisioterapeuta ou outro profissional. Achei tb interessante o acompanhamento por nutricionista.
    Obrigada pelas informações. Eu devo procurar um neurologista?
    bjs

    ResponderExcluir
  42. Isa,
    com certeza o tratamento é multidisciplinar e o neurologista é o especialista que vai cuidar de vc e tb ver se tem alguma doença de base, ok?
    melhoras e se cuide

    ResponderExcluir
  43. Não sei mais o que fazer,já tomei varios medicamentos Essa dor alucinante não me deixa.Choro muito sozinha a noite.Pois evito reclamar demais para meus filhos
    Acredito que estou deprimida devido a tanta dor.Meus recursos financeiros sao pequenos,por isso nao tenho acesso a medicaçao de ponta.Rezo a Deus todos os dias,queria minha vida de novo.Eu era alegre cheia de vida.Hoje nao consigo mais fazer nada devido a dor.Desculpem meu desabafo, mas o que fazer?.....Nao sei

    ResponderExcluir
  44. olá,vc que desabafou,entendo exatamente sua impotência diante tanta dor e descaso da saúde neste país.
    dependendo de onde você mora, existem centros de tratamentos em hospitais universitários, tente se informar, e desabafe sempre que precisar.
    fique com Deus

    ResponderExcluir
  45. Parabens pela iniciativa de publicar referências ao autor.
    Continuem assim.

    Eliania Queiroz
    Terapeuta Ocupacional

    ResponderExcluir
  46. olá!estive lendo por estar passando há dois anos por algo parecido.me afastaram do trabalho e ja fiz vários exames, sendo que na ressonãncia e eletromiografia diagnosticaram multineuropatia axonal motora crônica com comprometimento moderado predominando membros inferiores na época (2008 ),acontece que tenho piorado muito,dores intensas,cãimbras e agora também se verificou hérnia de disco...trabalhava como apoio de enfermagem e tive dois filhos portadores de distrofia muscular.preciso de orientação,retorno ao trabalho? como? obrigada.

    ResponderExcluir
  47. Sofro com neuropatia múltipla e também linfoedema, portanto sinto dores e edema nos pés e dormência total.Faz tempo que sofro muito, mas me esforço e faço caminhadas, hidro e drenagem linfática, mas tudo é paliativo. Faço uso do complexo B. Tenho artrite reumatóide e uso há + de 20 anos hidrocortisona. Acredito que seja a causa da neuropatia.Há pouco tempo fui a um geriatra famoso e ele me deu uma esperança de pelo menos diminuir o inchaço. É a supressão total e absoluta do glúten. Recém iniciei o tratamento, mas estou esperançosa.
    Mariana

    ResponderExcluir
  48. Mariana, que bom, não perca a esperança e a neuropatia, pode ser do próprio sjogren.
    nos dê notícias
    obrigada

    ResponderExcluir
  49. Ane/ ou Eliane,
    tenho um amigo que foi diagnosticado que ele tem HIV, e sofre desta doença chamada NEUROPATIA, conforme relatado pelos colegas acima, as dores, queimações, formigações sao intensas que acaba praticamente com a vida de qq pessoa. Observei que vc pede para procurar um neurologista, mas para quem possui este tipo de acompanhamento, ja tomou diversos remédios, mas mesmo assim elas continuam, o que eles podem fazer? Na parte da terapia ocupacional, existe algo a fazer? medicina alternativas? Acumpuntura...
    O blog é muito interessante e importante, porem vago, pois todos que procuram já sofre com a doença e esta procurando um metodo para somar com o tratamento que esta fazendo e chegar no objetivo.
    Parabéns pelo blog, e fico no aguardo de sugestões.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  50. Procede dizer que quem teve hepatite do tipo C não
    alcançará resultado? Muito obrigada. bjos

    ResponderExcluir
  51. Oi, meu nome é Murilo, tive um fratura de umero e foi feito uma cirurgia para reparar..mas teve uma lesão depois da cirurgia do nervo radial. Alguem ja passou por isso? o que pode ter acontecido? e alguemn sabe em qnt tempo pode voltar os movimentos que esse nervo nervo é responsavel? espero compartilhar com alguem, pos ja tenho quase 2 meses da cirurgia e nada de melhora.

    ResponderExcluir
  52. Oi, meu nome é Rafael, há uns 10 meses venho sofrendo com formigamento na sola dos pés, dedos e nádega, não sinto dor. Fiz ressonância magnética e deu espondilose com degeneração discal L3 e L4. Já fiz 15 sessões de fisioterapia e estou fazendo hidroginática. Ainda não resolveu, continuo com os sintomas.
    Fui no ortopedista e ele disse que meus nervos estão pinçando na coluna e me receitou ETNA. Comecei a tomar faz uns 5 dias, ainda não melhorou, tenho que tomar durante 30 dias.
    Será que meu problema é realmente desgaste nos discos e este medicamento pode resolver? Aguardo sugestão. Obrigado.

    ResponderExcluir
  53. Olá, sinto fortes queimações na região dos joelhos, principalmente na parte externa. Fiz alguns exames com o neurologista e nada foi constatado. Estou tomando o ETNA a uns 4 meses e não melhora. O que faço, não aguento mais essa queimação?

    ResponderExcluir
  54. olá, vc que sente queimações, procure um reumatologista, algumas neuropatias vem junto com doenças reumáticas, quem sabe descobre a causa e melhora.
    sorte e melhoras

    ResponderExcluir
  55. Tenho dormencia no indicador e medio , so na mao direita , nao tenho sin. do carpo ,e ja fiz 55 s, Fisio.
    nada melhora uso etna direto !
    estou desesperado !!!!
    me ajudem !

    ResponderExcluir
  56. Ane,Parabéns pelo blog, a alguns anos começei com um formigamento na perna esquerda e com o tempo foi se espalhando por todo o corpo.Procurei um Neurologista e depois de uma eletromiografia o resultado foi uma mononeurite. Disse que era uma doença crônica e que ñ tinha cura, quase entro em depressão... mas com o tempo fui me acostumando a lidar com o problema. Hj me sinto um pouco preocupado, pq sinto muito queimor nos nervos, fraqueza e muitas dores na coluna, pernas e braços... Por favor me ajude !

    ResponderExcluir
  57. bem, sinto dizer a todos que minhas respostas parecem vagas, pq nessa patologia, nada é realmente eficaz.
    quando as pesquisas trouxerem novas propostas, com certeza as divulgarei.
    o que posso ajudar recomendar, novas opiniões, acupuntura, reiki, florais de bach, hidroterapia e buscar a doença de base, que na maioria dos casos demora-se demais a encontrar.
    com certezao emocional piora tudo, então uma terapia, vai ajudar muito sempre.
    boa sorte a todos

    ResponderExcluir
  58. Boa tarde !!!!
    Meu problema começou há dois meses quando surgiu uma dor terrível nas costas e se espalhando pelo braço esquerdo, não consegui nem sequer dormir, não tinha posição certa na cama, quando estive pela primeira vez no neurologista, e estou há mais de um mes tomando as medicações receitadas por ele: ETNA, 3X ao dia, CITONEURIN 5.000, 2x ao dia, e GABAPENTINA, a noite, onde está surgindo uma melhora no quadro, porem, ele disse pra voltar daqui há um mes, e pra continuar com as mesmas medicações, pois pode levar até 6 meses de tratamento, mas será????( disse que é compressão da Raiz) ????e aja dinheiro pra comprar os remedios.......
    Abraços, e vamos lutar ..a vida continua

    ResponderExcluir
  59. oi,fiz o exame de eletroneuromiografia de mse,o laudo foi neuropatia focal sensitivo-motora de carater mielinico do nervo mediano ao ivel do punho.
    neuropayia focal sensitvo-motora de carater mienico do nervo ulnar ao nivel cotovelo,com sinais de degeneração axonal secundaria e desnervaçõ em atividade,me ajudem é grave.

    ResponderExcluir
  60. calma, vc pode estar com um problema de solução bem mais positiva, tem que descobrir a causa, e quanto ao punho parece sindrome do túnel do carpo, se cuide e sem desespero, nada que não se resolva
    boa sorte

    ResponderExcluir
  61. Boa Tarde , já se faz dois anos que sinto queimação e ardencias nos´pés, ja fui ao medico , e continuo sofrendo mto com esta queimação. por favor me oriente o que devo fazer .

    ResponderExcluir
  62. Boa noite, meu nome e Gerad, há 8 mese minha mãe vinha sentindo caimbras, dormenças e fraqueza nas pernas.Depois de passar por clinico e cardiologista que o encaminou a um Neurologista,foi feito uma eletroneumiografia que acusou Doença do Nerônio Motor dos membros inferiores ou ( ELA ), ele receitou Etna. Gostaria de saber o que vc tem pra me falar a respeito dessa Doença e se o Etna pode ter algum resultado de melhora ou de cura, pois minha mãe que caminhava 2 a 3 quilômetros por dia, hoje não conssegue mais caminhar 50 e com auxilio de alguém. Desde já, obrigado!

    ResponderExcluir
  63. Bom dia,já faz um ano q venho sentindo dormências nos dois ultimos dedos da mão esquerda qdo fico mto tempo no computador,fui ao médico e ele pediu ultrason pensando q era tendinite,mas fiz o exame e ñ deu nada,então fiz uma eletroneuromiografia e deu polineuropatia periférica,e já afetou o lado direito tbm,já li mtas coisas e estou com medo ainda ñ sei a causa,gostaria de saber qual o tratamento e se tem cura,obrigada.

    ResponderExcluir
  64. 25 de março de 2014. Meu nome é Caio. Tenho 73 anos. Tenho diagnóstico de polineuropatia. Fiz eletroneuromiograifa que confirmou o diagnóstico clínico. A seguir fiz exames de sangue exaustivos não tendo nenhum resultado indicativo de causa da doença. Não sou diabético, nem alcoolista e nem me expus a agentes químicos. Face a isto o neurologista ainda busca a etiologia da doença. Sugeriu a realização de uma biópsia do nervo sural. Ouvi de outros médicos neurologistas que tal biópsia é desnecessária já que só vai confirmar o que se sabe: o nervo está doente. Por isso estou em dúvida demseguir a orientação do meu neurologista já que vou me submeter a retirada de nervo que deixa sequela e vou correr riscos ma cirurgia (anestesia geral...).Gostaria de saber se realmente a biópsia é desnecessária e caso, afirmativo, que tratamentos posso ter para o problema já que desde que tive o diagnóstico não tive nenhuma indicação para tal. Obrigado.

    ResponderExcluir

Obrigada por ter me visitado, volte sempre
Ane Coelho

Daily Calendar

Seguidores

alongamento

alongamento

Notícias

Loading...

Follow by Email

dores e doenças autoimunes

Loading...
Loading...

saúde

Loading...