domingo, 15 de março de 2009

Artrite Reumatóide

Artrite Reumatóide
O que é Artrite Reumatóide?
Quem pode ter Artrite Reumatóide?
Como se manifesta a Artrite Reumatóide?
Como deve ser o tratamento da Artrite Reumatóide?
Perguntas e respostas sobre Artrite, Osteoartrite e Reumatismo

O QUE É ARTRITE REUMATÓIDE?
A Artrite Reumatóide é uma doença inflamatória crônica severa, debilitante, com localização variada mais comumente nas articulações sinoviais e tecidos periarticulares, com dores e deformidades progressivas, considerada até o momento incurável.

A expectativa de vida pode ser reduzida tanto em homens como em mulheres com artrite reumatóide e aqueles pacientes com o tipo mais grave da doença apresentam as mais altas taxas de mortalidade; por essa razão, muitos reumatologistas estão desenvolvendo estratégias terapêuticas mais agressivas para essa doença.
É muito freqüente, aproximadamente 10% das manifestações articulares são devido a Artrite Reumatóide. A origem da doença está relacionada com distúrbios emocionais ou ao sistema imunológico (auto-imune).
QUEM PODE TER ARTRITE REUMATÓIDE?
A Artrite Reumatóide acomete homens e mulheres de todas as idades, com picos de incidência em adultos jovens e mulheres em pré-menopausa.
A sua incidência é maior entre mulheres entre 50 e 70 anos, tendo uma relação de prevalecência de 2 a 3 mulheres para 1 homem.

COMO SE MANIFESTA A ARTRITE REUMATÓIDE?
A Artrite Reumatóide é caracterizada pela inflamação da membrana (sinovial) que forra a cápsula fibrosa que envolve e protege as articulações. O início é insidioso com sintomas gerais: febrícula, mal-estar, sudorese, perda do apetite, emagrecimento, moleza, angústia e irritabilidade.
O começo pode também simular outras doenças, como: tenossinovite, manifestações pulmonares, fibromialgia, etc, ou atingir a várias articulações, geralmente as maiores, sendo simétrica (direita e esquerda).
Apresentam sinais evidentes de inflamação: dor, rigidez matinal (mais intensa após despertar), artrite em três ou mais áreas articulares, edema, calor, rubor, aumento dos gânglios, anemia e nódulos subcutânios.
Qualquer articulação sinovial pode apresentar a inflamação da artrite reumatóide, sendo que algumas com mais conseqüências. Entre ela podemos destacar:
- Mãos;
- Joelhos;
- Pés;
- Cotovelos;
- Ombros;
- Têmporo-mandibular;
- Coluna cervical.

As principais complicações geradas pela doença são:
- Deformidades progressivas com perda funcional;
- Desgaste das juntas (artrose);
- Ruptura de tendões;
- Instabilidade da coluna cervical

COMO DEVE SER O TRATAMENTO DA ARTRITE REUMATÓIDE?
Como deve ser o tratamento da Artrite Reumatóide?

A Artrite Reumatóide é uma doença de difícil tratamento. Até 75% dos pacientes apresentam melhora quando são tratados com baixas doses de um número mínimo de medicações durante o primeiro ano da doença, porém 10% ou mais são eventualmente incapacitados por ela.

Os pacientes que apresentam diagnóstico de artrite reumatóide precisam receber informações sobre a doença, seu curso, as diferentes modalidades terapêuticas, os efeitos colaterais induzidos pela medicação, as conseqüências da doença e as técnicas para ocultar o problema.

O tratamento da artrite reumatóide poderá ser realizado pelo paciente de duas maneiras: tratamento não farmacológico e tratamento farmacológico.

- Tratamento Não Farmacológico:

O repouso completo no leito durante um curto período de tempo pode ser benéfico para pacientes com doença grave ativa e dolorosa, mas períodos regulares de repouso podem ser recomendados para pacientes com sintomas menos graves. Além disso, aparelhos para mobilização podem poupar a articulação em locais específicos de inflamação.

Programas de exercícios também podem contribuir para a prevenção de deformidades e a manutenção da massa muscular, embora eles devam ser iniciados cuidadosamente se o processo inflamatório agudo ainda estiver ativo. Exercícios e fisioterapia oferecem maior sucesso quando iniciados após a inflamação ter sido suprimida.

Vários dispositivos encontram-se disponíveis para ajudar os pacientes com artrite reumatóide a realizar as tarefas diárias. Sapatos ortopédicos e outros tipos de calçados podem também ser muito úteis.

- Tratamento Farmacológico:

O tratamento farmacológico da artrite reumatóide tem sido tradicionalmente dividido em medicações de primeira e de segunda linhas. Os agentes de primeira linha, incluindo AINEs, aspirina e coxibs exercem rápido efeito supressor dos sinais de inflamação, tais como dor e rigidez, mas, infelizmente, eles não alteram a progressão do dano articular, conforme evidenciado por estudos que utilizaram radiografias seriadas.

As medicações de segunda linha são aquelas que conseguem modificar o curso da doença. Dentre estas, podemos destacar a sulfassalazina, a hidroxicloroquina, o metotrexato, a azatioprina, os sais de ouro, a penicilamina, a ciclofosfamida e a ciclosporina.

Atualmente as medicações modificadoras da doença estão sendo usadas no início do processo patológico para ajudar a prevenir complicações e incapacidade. Devido a este fato, os agentes de segunda linha estão sendo classificados agora como medicações anti-reumáticas modificadoras da doença (DMARDs), medicações indutoras de remissão (RIDs) ou medicações anti-reumáticas de ação lenta (SAARDs).

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE ARTRITE, OSTEOARTRITE E REUMATISMO
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ARTRITE, OSTEOARTRITE E REUMATISMO

O que é artrite?
Artrite é uma inflamação da articulação, que provoca dor, limitação de movimento e até deformidades, podendo afetar adultos, em qualquer idade, e crianças.

O que é artrose?
Artrose é uma doença degenerativa da articulação, sendo a forma mais comum das doenças músculo-esqueléticas. Afeta preferencialmente as pessoas a partir da meia idade e envolve mais freqüentemente as seguintes articulações: coluna cervical, lombar, joelhos, quadris e os dedos das mãos. Quase 70% das pessoas acima dos 70 anos têm evidências radiológicas desta doença e grande parte não apresenta nenhum sintoma.

Qual a definição de osteoartrite?
Osteoartrite é a forma mais comum de artrite e a principal causa de incapacidade nos Estados Unidos. É uma doença das articulações, degenerativa e progressiva, na qual a cartilagem que reveste as extremidades ósseas se deteriora, causando diferentes graus de dor, inflamação e incapacidade.

Como se define artrite reumatóide?
É uma doença crônica, de causa desconhecida, que provoca inflamação nas articulações (dor, rigidez, inchaço e perda da função), com tendência a ser persistente, determinando deformidades e invalidez. Predomina em mulheres adultas, mas ambos os sexos são acometidos, mesmo as crianças. Às vezes atinge outros órgãos, por exemplo, olhos, coração, pulmão e sistema nervoso.

O que é reumatismo?
O reumatismo não é uma doença, mas um grupo de doenças que em algum momento provoca dor ou incapacidade funcional nas articulações, músculos, tendões ou ossos. Pode também causar inflamações nos tecidos conjuntivos de outras partes do corpo (rim, pulmão, pele, etc).

Qual a causa dessas doenças?
Não existe uma causa única para as doenças reumáticas. São aproximadamente 200 doenças com causas diferentes. Por exemplo, a artrite infecciosa é provocada por bactérias ou fungos; a artrite reumatóide, o lúpus eritematoso e outras doenças do tecido conjuntivo têm causas imunogenéticas; a gota tem causa metabólica (excesso de ácido úrico); as tendinites e bursites são provocadas por traumatismo ou movimentos de repetição. Enfim, múltiplas causas para doenças muito diferentes.

Existe alguma forma de preveni-las?
Algumas podem ser prevenidas, como, por exemplo, uma artrose provocada por uma deformidade congênita, a qual pode ser evitada caso essa deformidade seja corrigida precocemente. Uma outra doença prevenível é a osteoporose, quando as mulheres jovens são devidamente orientadas. A gota também pode ser prevenida, tratando-se o excesso de ácido úrico no sangue, antes que ele forme cristais e se deposite na articulação, provocando inflamação, dor e incapacidade. Manter o peso ideal com exercícios e dietas é uma boa maneira de prevenir doenças.

Por que são chamadas de doenças incapacitantes?
Porque um processo inflamatório que leve à dor e posteriormente a alguma deformidade pode tornar o paciente incapaz de realizar movimentos. A própria dor e a inflamação impedem os pacientes de se movimentarem.

Existe alguma parcela da população na qual essas doenças são mais freqüentes? Por quê?
Determinadas doenças atingem, por exemplo, mais as crianças, como a febre reumática. Isto porque essa doença é conseqüência de uma infecção de garganta que atinge mais as crianças. As artrites infecciosas atingem mais as crianças e os idosos, pela deficiência imunológica. A artrite reumatóide e o lúpus eritematoso sistêmico atingem preferencialmente as mulheres em virtude da participação hormonal nestas doenças. A artrose atinge geralmente pessoas de mais idade. Curiosamente, essas doenças são normalmente mais freqüentes e mais graves em indivíduos de classe sócio-econômicas menos favorecidas.

Qual a incidência de osteoartrite na população mundial? E no Brasil?
Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 20 milhões de americanos são portadores de osteoartrite. No Brasil, mais de 15 milhões de pessoas sofrem de osteoartrite. Nos Estados Unidos, 2 milhões de americanos sofrem de artrite reumatóide, sendo 60 % mulheres. No Brasil são 1 milhão e 500 mil.

Como é o tratamento padrão dessas doenças?
Como são doenças de causas diferentes, o tratamento é diferenciado e complexo para cada uma delas, no entanto nas doenças onde existe inflamação o uso de medicamentos antiinflamatórios torna-se imperativo.

É um tratamento eficaz?
Em determinados casos sim, porém muitas vezes é preciso usar antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) durante um período longo, o que acarreta efeitos colaterais, além de associá-los a muitos outros medicamentos, também potencialmente tóxicos.

O que se pode dizer a respeito dos efeitos colaterais gastrointestinais ocasionados pelo uso dos AINEs? Por que eles são tão freqüentes?
Os AINEs, devido ao seu uso disseminado, causam mais hospitalizações e mortes do que qualquer outra classe de medicamentos disponível no mercado. Os AINEs inibem a enzima COX-1 (ciclooxigenase-1), que produz substâncias que se acredita serem responsáveis pela manutenção das funções orgânica importantes, como a proteção da mucosa gástrica. Com isso, podem causar efeitos gastrointestinais graves, tais como perfurações do estômago, úlceras e sangramentos.

Qual a gravidade desses efeitos gastrointestinais (GI)?
Nos Estados Unidos, por exemplo, esses efeitos colaterais GI resultam em mais de 76 mil hospitalizações e 7.600 mortes a cada ano, de acordo com estimativas publicadas. Mais de 50% dos usuários crônicos de AINEs apresentam algum tipo de lesão da mucosa gastroduodenal. Sessenta por cento dos pacientes com úlcera péptica complicada são usuários de AINEs. No Brasil, estima-se um gasto de US$ 2 bilhões ao ano com o tratamento de efeitos indesejáveis decorrentes do uso de AINEs.

Como é tratado um paciente que desenvolveu úlcera, por exemplo, devido ao uso de AINEs?
O fundamental é a suspensão do AINE; depois inicia-se o uso medicamentos antiulcerosos.

Todos os medicamentos são iguais ou existe alguma diferença entre eles?
Os antiinflamatórios não são iguais. Sabe-se que em uma reação inflamatória são liberadas diversas substâncias que alimentam a "fogueira" do processo inflamatório. Uma das mais importantes são as prostaglandinas, que são produzidas pela ação das enzimas COX-1 e COX-2 . Os AINEs hoje existentes inibem a produção das prostaglandinas através da inibição das COX-1 e COX-2, levando a efeitos indesejáveis, uma vez que a COX-1 exerce funções fisiológicas. Os novos AINEs são específicos para COX-2, não inibindo as prostaglandinas protetoras da mucosa gástrica.

Quais as características da nova classe de medicamentos antiinflamatórios, os inibidores específicos da COX-2?
Os inibidores específicos da COX-2 agem por meio da inibição da COX-2 sem inibir significativamente a COX-1. A COX-2 (ciclooxigenase-2) é uma enzima responsável pela produção de substâncias que se acredita serem basicamente responsáveis pela dor e pela inflamação. A ciclooxigenase-1 (COX-1) produz substâncias que se acredita serem responsáveis pela manutenção das funções orgânicas importantes, inclusive a proteção da mucosa gástrica.

Os medicamentos dessa classe não provocam efeitos colaterais GI?
Geralmente não. Sendo inibidores seletivos da COX-2, deixam livre a COX-1 que protege a mucosa gástrica, apresentando efeitos indesejáveis mínimos.

Provocam algum outro tipo de efeitos colaterais?
Os estudos realizados mostraram efeitos colaterais similares ao placebo.

A eficácia desses medicamentos é comparada à dos AINEs?
Nos estudos clínicos já realizados, em comparação com os principais AINEs existentes no mercado, a eficácia foi a mesma.

Existe alguma contra-indicação ao uso de medicamentos dessa classe?
Sim. Indivíduos com úlcera péptica ativa ou em tratamento, insuficiência renal grave, alergia a AINEs, doença neoplásica, angina ou hipertensão descontroladas, mulheres jovens em idade fértil e sem controle de natalidade devem evitar o uso desses medicamentos.

Qual a incidência de automedicação entre os pacientes que sofrem dessas doenças?
Os AINEs são os medicamentos mais utilizados no mundo. São 100 milhões de prescrições anuais de AINEs e um número sete vezes maior sem prescrições. Representam 40 bilhões de comprimidos ao ano. Quarenta por cento dos usuários têm mais de 60 anos.

Qual o perigo da automedicação?
Os pacientes que se automedicam correm o risco dos efeitos colaterais dos AINEs e até de morte, além de não se beneficiar dos efeitos desejáveis dos AINEs, já que usam aquilo que lhes é indicado por leigos, sem tomarem conhecimento se esse remédio é aconselhado para sua doença.

MANUAL MERCK

Mais informações sobre Artrite Reumatóide

Consulte a obra sobre medicina mais lida em todo o mundo.

SAIBA MAIS

Saiba mais sobre a artrite reumatóide através de nosso arquivo PDF.

Download

FALE CONOSCO

Fale Conosco


0800 012 2232
Discagem direta gratuita (horário comercial)


http://www.msd-brazil.com/msdbrazil/patients/sua_saude/reumaticas/artrite/artrite1.html

5 comentários:

  1. ótima matéria.....
    Consegui esclarecer mtas dúvidas sobre o assunto
    Parabéns....

    ResponderExcluir
  2. que bom esse é o objetivo do blog
    volte sempre
    obrigada

    ResponderExcluir
  3. ♥ Muito obrigada pelas informações...esclareci ainda mais sobre tudo que tenho lido e perguntado aos médicos.Deus abençõe !♥

    ResponderExcluir
  4. Ane boa tarde...sou portador de artite reumatoide a 9 anos atualmente os medicamentos ñ estão fazendo mais efeito sinto muitas dores insuportaveis com dificudade de movimentos,como me trato o serviço publico fica muito difisil o tratamento pode me ajudar como conseguir um tratamento melhor. marco antonio mistero dos santos 01335615984 marcomistero@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. olá Marco Antonio
    desculpe a demora, mas andei em crise, kkkk, preste atenção procure um hospital escola, normalmente é dentro de universidade,eles tem programas incríveis para doenças autoimunes
    boa sorte e melhoras

    ResponderExcluir

Obrigada por ter me visitado, volte sempre
Ane Coelho

Daily Calendar

Seguidores

alongamento

alongamento

Notícias

Loading...

Follow by Email

dores e doenças autoimunes

Loading...
Loading...

saúde

Loading...