terça-feira, 16 de setembro de 2014

Laboratório Teuto anuncia recall de 150 mil unidades de cinco medicamentos Entre as falhas de fabricação, a empresa identificou que o antidepressivo Amitriptilina foi embalado como se fosse o Metformina, usado para controle da diabete 15.09.2014 | 19:59 inShare  O Estado de S. Paulo O laboratório Teuto vai recolher do mercado 150 mil unidades de cinco medicamentos por falhas de fabricação. No rol de problemas, por exemplo, o antidepressivo Amitriptilina 25 mg foi embalado como se fosse o Metformina 850 mg, usado para controle da diabete. Já o Paracetamol 500 mg pode ter dentro da cartela um objeto metálico semelhante a um parafuso. Os medicamentos envolvidos no recall são: Cetoconazol, Amitriptilina, Paracetamol, Nistatina e Atrovastatina Cálcica. Leia os detalhes abaixo: Cetoconazol 200mg De acordo com a empresa, o recall abrange 105.314 unidades dos produtos colocados no mercado de consumo, com numeração de lote 1048105 e fabricação em 25/06/2013. Riscos: A Teuto informou que o lote Cetoconazol 200mg 30 comprimidos, usado para tratamento de micose, pode ter em seu lugar o medicamento Atenolol 100mg. Assim, o uso do produto pode "provocar o comprometimento do tratamento de infecções micóticas do paciente devido à substituição do Cetoconazol, e causar diminuição da pressão arterial, que é o efeito esperado do Atenolol". Amitriptilina HCL 25mg A Teuto informou que o recall da Amitriptilina HCL 25mg, fabricada entre 14/2/14 e 15/2/14, abrande 10.271 produtos colocados no mercado de consumo, com numeração de lote 8910019. Riscos: A empresa Teuto disse que o medicamento antidepressivo Amitriptilina HCL 25mg veio dentro da embalagem do Metformina 850mg, utilizado para tratar diabetes. Assim, o produto pode influenciar no "controle da glicemia no paciente diabético devido ausência de Metformina, ao passo em que poderia provocar sedação leve, que é o efeito esperado da Amitriptilina". Paracetamol 500mg O recall do Paracetamol 500mg abrange 15.141 medicamentos fabricados entre 11 e 12/12/2013, com numeração de lote 1998101. Riscos: A Teuto destacou que "foi constatada a possibilidade de ser encontrada a presença de um objeto metálico, semelhante um parafuso, dentro de um alvéolo de um blíster (cartela) inviolado do lote 1998101 do paracetamol 500mg". Nistatina 25.000UI/G creme Vaginal A Teuto informou que 13.993 unidades do creme vaginal Nistatina 25.000UI/G, fabricados entre 14/2/14 e 15/2/14, com numeração de lote 8910019, precisam ser devolvidos. Riscos: A empresa destacou , no lote 8910019 da Nistatina pode ter ocorrido a embalagem do lote 33900205 do produto Sulfato de Neomicina + Bactracina Zínica pomada. Assim, "o uso do produto equivocadamente poderia provocar o comprometimento do tratamento de candidíase vaginal do paciente, devido a substituição da Nistatina". Atrovastatina Caustica 10 mg O recall Atrovastatina Cálcica 10 mg com 60 comprimidos revestidos, fabricados entre 17 e 21/1/2014, abrange 4.822 produtos inseridos no mercado de consumo, com numeração de lote 6909006. Riscos: A Teuto destacou que "a unidade do lote 5909006 de Atorvastatina cálcica 10 mg estava embalada em cartonagem de Atorvastatina da concentração de 20 mg", e que "caso o consumidor não perceba o desvio, pode fazer uso do produto com dosagem inferior a prescrita pelo médico. Como implicação, o uso da unidade com desvio poderia comprometer o tratamento de controle de colesterol".  Ir para o topo Destaques Análises Futebol Link Últimas Política Economia Trailers Esportes Trânsito Internacional Loterias #EstadaoMetroSP PME Horóscopo Opinião Aplicativos Colunistas Blogs Ir para a versão webESTADÃO

domingo, 17 de agosto de 2014

Dor neuropática 16/07/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médicoO que significa?
trackback

“Todo mundo é capaz de suportar uma dor,
com exceção de quem a sente.”
William Shakespeare
Antes de definir dor neuropática é essencial que compreendamos o significado da palavra dor. Você com certeza já experimentou essa sensação algumas vezes ao longo de sua vida. Apesar disso, você saberia defini-la ou descrevê-la com palavras? São tantas e diversas as sensações que entendemos como dor; o que então todas elas têm em comum? (1)
A dor é uma sensação complexa caracterizada por uma experiência sensorial e emocional, sempre desagradável. Ela é, portanto, subjetiva, cabendo a cada indivíduo utilizar esta palavra de acordo com suas próprias experiências. (1)
A chamada “dor neuropática” por sua vez, foi definida pela Associação Internacional de Estudos da Dor como: “dor iniciada ou causada por uma lesão ou disfunção que compromete primariamente componentes do sistema nervoso” (cérebro, medula espinhal, raízes e nervos). Dependendo de onde se localiza a lesão, a dor pode ser classificada em central ou periférica. (1)
Como se manifesta? – Como qualquer outro tipo de dor, ela pode ser classificada em aguda ou crônica (superior a três meses), dependendo da sua duração. Infelizmente, a grande maioria das dores neuropáticas são crônicas. Ela pode ser espontânea, quando ocorre na ausência de estímulos externos, ou evocada por estímulo, também chamada de estímulo dependente. (1)
Vários sinais e sintomas são característicos de dor neuropática. Estudos recentes mostram que pacientes com dor neuropática descrevem suas sensações usando principalmente seis palavras: dor em choque elétrico, em queimação, dor fria, como coceira, um formigamento ou uma picada. É importante que médico e paciente consigam caracterizar bem o tipo de dor, pois este fato pode ter grandes implicações em seu tratamento. Apesar de não ser de intensidade extrema, ela causa importante incômodo e incapacidade ao paciente por suas características crônicas. (1)
Quais são os sintomas? (2)
Os sintomas da dor neuropática são frequentemente descritos como punhalada, queimadura ou choques eléctricos. Estes sintomas agravam-se, muitas vezes, durante a noite.
Outros sintomas comuns da dor neuropática são:
Alodínia – sensação dolorosa causada por estímulos que habitualmente não causam dor, como um leve toque;
Hiperestesias – respostas exageradas aos estímulos tácteis, como aos lençóis de cama;
Hiperalgesia – sensibilidade exagerada a estímulos dolorosos;
Hiperpatia – persistência da dor mesmo após a remoção do estímulo dolorosos;
Parestesias e disestesias – sensações anormais e desagradáveis descritas como formigamento, dormência, picadas.
Quão frequente é a Dor Neuropática? (2)
Estima-se entre 1,5 % e 7,7% as pessoas afetadas por dor neuropática, respectivamente, nos Estados Unidos da América (EUA) e na Europa. No entanto, é uma síndrome que, muitas vezes, é sub-diagnosticada e sub-tratada.
Nos países europeus a dor neuropática tem uma prevalência estimada em:
3 milhões de pessoas ou 7,5% no Reino Unido;
2,5 milhões de pessoas ou 6,4% em França;
3,5 milhões de pessoas ou 6% na Alemanha;
2,1 milhões de pessoas ou 7,7% em Espanha.
Que impacto tem a Dor Neuropática nos doentes? (2)
A dor neuropática tem impacto significativo, no funcionamento diário e na qualidade de vida das pessoas afetadas. Em muitos doentes a dor interfere, de forma relevante, no sono e associa-se a falta de energia e dificuldades de concentração.
Devido à dor, que é de natureza crônica, alguns doentes não conseguem trabalhar, andar, ou mesmo tolerar as roupas em contacto com o corpo, pois o simples contacto com estas pode desencadear dores insuportáveis, muitas vezes descritas como sensação de queimadura ou lancinantes.
As lesões nervosas dolorosas constituem um fardo econômico importante para os doentes que procuram cuidados para o alívio da dor. Por outro lado, estes doentes sofrem habitualmente de outras doenças, o que os torna maiores consumidores de cuidados de saúde.
A depressão, ansiedade, doença cardíaca e diabetes são perturbações frequentes nestes doentes. Estima-se que, nos doentes com dor neuropática, os custos totais com a saúde sejam cerca de três vezes superiores aos da população em geral. (2)
Principais causas de dor neuropática: (3)
Lesões traumáticas de:
  • nervos periféricos
  • nervos cranianos
  • raízes dorsais
  • medula espinal
  • certas regiões do encéfalo (vias sensitivas, núcleos sensitivos, tálamo, córtex sensitivo)
Neuropatias periféricas dolorosas:
Localizadas:
  • síndromes compressivas (entrapment e neoplasias)
  • dor complexa regional (distrofia simpaticorreflexa, causalgia)
  • membro fantasma e dor de coto de amputação
  • neuralgia pós-herpética
  • mononeuropatia diabética
  • neuropatia isquêmica
  • poliarterite nodosa
  • pós-radioterapia
Difusas (polineuropatias e mononeurites múltiplas):
  • diabética
  • alcoólica
  • amiloidose
  • AIDS
  • hipotireoidismo
  • neuropatias sensitivas hereditárias
  • doença de Fabry
  • deficiência de vitamina do complexo B
  • neuropatias tóxicas
  • auto-imunes
  • vasculites
  • paraneoplásica
Doenças medulares:
  • esclerose múltipla
  • lesões isquêmicas
  • mielopatias infecciosas degenerativas
  • siringomielia
  • compressões (tumores, degeneração discal)
Doenças encefálicas:
  • siringobulbia
  • acidente vascular encefálico
  • esclerose múltipla
  • doença de Parkinson
Fontes:http://esclerosemultipla.wordpress.com/2006/07/16/dor-neuropatica/
  1. Revista Hands nº 15 – abril / maio 2003 (Associação Brasileira do Câncer)
  2. ABC da Saúde – SAPO.pt
  3. Galvão, Antônio César Ribeiro. Dor Neuropática: tratamento com anticonvulsivantes. São Paulo: Segmento Farma, 2005

domingo, 3 de agosto de 2014

Sintomas associados a Fibromialgia

Sintomas associados à Fibromialgia De acordo com Milton Hammerly, médico de família e diretor do Centro de Medicina Integrativa do Catholic Health Initiatives, com sede em Denver, EUA, é melhor pensar em Fibromialgia como um rótulo utilizado para descrever uma síndrome, isto é, um grupo de sinais e sintomas. Os principais são: · Dor muscular crônica generalizada e difusa; · Pontos sensíveis específicos de dor. Mas estes não são os únicos. Há uma extensa lista de sintomas que pode variar de pessoa para pessoa, tanto no tipo como na severidade. A forma de sentir a dor também pode alterar. Há pacientes que relatam pontadas, queimações, fisgadas, outras dizem que arde, lateja, sentem como apunhaladas, cólicas ou até mesmo têm a impressão de que seus músculos estão sendo rasgados. O local da dor também se modifica. “A dor anda pelo meu corpo” explicou uma paciente. E realmente, dependendo do horário do dia, da atividade que está sendo realizada, da qualidade do sono, do estresse e até mesmo da condição climática, a dor muda de local, intensidade e forma. A dor é sentida nos músculos, em volta das articulações, mas também afeta o lado emocional, pois a dor é também incapacitante, limitante, gera preconceito. O remédio para o preconceito? Informação! Portanto, divulguem! Compartilhem! Mostrem a todos o quão dolorosa é a Fibromialgia, não só para o corpo, mas para a mente e para o coração.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Exame antiCCP

Plugbr Para que serve o exame anti CCP anticorpos antipeptídeo citrulinado, resultado alterado em diagnóstico de artrite reumatóide Posted: 30 Jun 2014 02:46 PM PDT O exame laboratorial de anticorpos antipeptídeo citrulinado cíclico ou Cyclic Citrullinated Peptide, anti CCP, um exame laboratorial que serve para diagnóstico precoce da Artrite Reumatóide por ser um teste mais específico para este fim. A realização do fator reumatóide juntamente com o anti CCP torna o diagnóstico de AR muito mais sensível e específico. Veja também o valor normal e alterado para este teste. Na artrite reumatoide, o sistema imunológico, que é responsável por proteger o nosso organismo contra os vírus e bactérias, também ataca os tecidos do próprio corpo mais especificamente a membrana sinovial, uma película fina que reveste as articulações, causando inflamação neste local e consequente dor, inchaço e vermelhidão, principalmente nas mãos e nos pés. O exame anti CCP vem sendo pedido pelos médicos com frequência com a função de proporcionar um diagnóstico precoce da doença artrite reumatóide, é o anticorpo mais específico da AR. Usado por muito tempo como marcador de artrite reumatóide o FR Fator Reumatóide tem uma especificidade muito baixa (59 a 65%), devido se apresentar positivo no teste quando existe outras doenças reumáticas auto-imunes no organismo deste paciente, doenças infecciosas, neoplásicas e até pode dar positivo em pessoas sadias. Alem disso, este FR é detectado em apenas 33% em pessoas que estão com a doença no início, perdendo muitos casos que são positivos. Com a chegada do exame anticorpos anti CCP facilitou distinguir os pacientes com AR. A sua sensibilidade é comparável ao FR, mas com melhor especificidade de 96%. Estudos indicam que 70% dos pacientes com AR são positivos para anti CCP. E em pacientes europeus e norte-americanos evidenciou sensibilidade de 78% e especificidade de 96% para os anticorpos anti-CCP contra sensibilidade de 74% e especificidade de 65% para o FR IgM. O material que será coletado para realizar o exame anti CCP será o sangue, não sendo necessário jejum, mas não deve ser coletado depois das refeições, para evitar que o sangue se apresente “gorduroso” e a condição da amostra interfira no resultado do teste. Os valores normais e alterados observados no resultado do teste anti CCP realizado pelo método de Fluorimetria, será negativo quando for Inferior a 7 U/mL, e em casos Indeterminado: Entre 7 até 10 U/mL, e aqueles positivos devem apresentar: Superior a 10 U/mL. Sendo que um resultado positivo indica presença de anticorpos IgG Anti-CCP e sugere a possibilidade de Artrite Reumatóide. O preço do exame varia de uma região para outra, mas geralmente está por volta de R$ 50,00 a 100,00. A associação dos dois testes , FR + Anti CCP aumenta a sensibilidade e a especificidade no diagnóstico da doença artrite reumatóide. Para que serve o exame anti CCP anticorpos antipeptídeo citrulinado, resultado alterado em diagnóstico de artrite reumatóide é um texto do site Plugbr.net. Caso queira usar o material, por favor, inserir os créditos. Obrigado por assinar nosso feed! You are subscribed to email updates from Plugbr.net To stop receiving these emails, you may unsubscribe now. Email delivery powered by Google Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Tratamento inovador permite alívio duradouro da dor neuropática Tratamento inovador permite alívio duradouro da dor neuropática Livia Lima Já está disponível, em Portugal, uma solução terapêutica inovadora para o tratamento da Dor Neuropática Periférica (DNP), um tipo de dor crónica que afecta cerca de 8% da população. Trata-se de um adesivo, à base de capsaícina (principio activo da malagueta) que demonstrou reduzir significativamente a dor neuropática, numa única aplicação (de 30 ou 60 minutos, consoante o local da área a tratar) durante um período de, pelo menos, três meses. Actualmente,160 pacientes do país já estão a beneficiar da terapêutica (Hospital Amadora-Sintra, Hospital Privado do Porto, Hospital Curry Cabral, Hospital Garcia de Orta, Hospital de São João, Hospitais da Universidade de Coimbra, Hospital de Pombal, entre outros). "A dor neuropática tem como tratamento de 1ª linha, antidepressivos e antiepilépticos a que se associam os analgésicos. Contudo, estes medicamentos pelos seus efeitos secundários nem sempre podem ser utilizados com segurança particularmente nos idosos. Esta terapêutica representa, por isso, um grande avanço, não só pela sua eficácia mas também porque é praticamente isento de efeitos secundários indesejáveis" explica Dra. Georgina Coucelo, Coordenadora da Unidade de Dor do Hospital Prof. Dr. Fernando da Fonseca. A DNP é uma dor crónica, muitas vezes descrita como uma sensação de picada, facada ou queimadura. Ao contrário da dor aguda, que habitualmente é uma resposta normal do nosso corpo a avisar que há um estimulo doloroso, e que desaparece após cura da lesão, a dor crónica não tem qualquer função protectora e continua após a cura da lesão. A zona dolorosa fica extremamente sensível, reagindo com dor ao toque, ao movimento ou à temperatura, de forma mais ou menos contínua e/ou persistente. Por vezes torna-se intolerável para o doente o contacto com o tecido da roupa, pois pode provocar dores insuportáveis. Como resultado, o doente vê-se incapacitado de dormir ou de desenvolver as actividades do dia-a-dia. Este quadro acarreta também consequências psicológicas, sobretudo uma grande incapacidade para trabalhar, a necessidade de alterar a rotina social e muita dificuldade em manter relações pessoais/sexuais. Actualmente, estima-se que os custos totais com DNP sejam cerca de três vezes superiores aos da população em geral, e que grande parte deles decorra de custos indirectos (baixas, absentismo, etc). Criada em 2005 no Japão, na sequência da fusão entre a Yamanouchi Pharmaceutical Co. e a Fujisawa Pharmaceutical Co, a Astellas Pharma é uma das 20 maiores empresas farmacêuticas do mundo. Com uma facturação de cerca de 9,7 mil milhões de dólares, em 2008, a empresa conta com cerca de 14 mil colaboradores em delegações espalhadas pela Europa, América do Norte, Ásia e Japão, país onde foi fundada. Com um trabalho orientado para o doente, a Astellas Pharma está empenhada no desenvolvimento de medicamentos inovadores de primeira linha em áreas terapêuticas chave, como a dermatologia, urologia, transplantação, infecciologia e dor. Fonte: Grupo Inforpress Imprimir » Enviar a um amigo » Comentar » Animais de Companhia: Pulgas à distância » As recorrências do amianto » O elementar sobre a lavagem das mãos » Fobia Social: Mais do que timidez » Glúten: Tolerar a intolerância » Hepatite: Fígado sofre! » Dormir mal pode ser perigoso » Palavra Autor Temas Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita. Pesquisa avançada More Sharing ServicesShare| Share on facebookShare on twitterShare on myspaceShare on deliciousShare on googleShare on email Quem somos | Missão e Valores | Serviços | Parceiros | Termos e Condições © 2005 - 2014 Médicos de Portugal. Todos os direitos reservados | Criado por

terça-feira, 20 de maio de 2014

Fibromialgia

> Noções Básicas > A "cura" da fibromialgia > Fibromialgia em pacientes > Fibromialgia Juvenil Home Pacientes | Destaque | Outros Editoriais | Serviços | Pontos de Vista | Sites Recomendados | Cadastre-se Área Pacientes Fibromialgia :: Noções Básicas :: Freqüência na População :: Quadro Clínico :: Manifestações Associadas :: Diagnóstico :: Fibromialgia Juvenil Como Lidar :: Orientações Gerais :: Tratamento Medicamentoso :: Tratamento Não Medicamentoso Você não esta só :: Seu espaço :: Compartilhe conosco Aviso Legal :: Disclaimer Artigos O que é fibromialgia O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono . No passado, pessoas que apresentavam dor generalizada e uma série de queixas mal definidas não eram levadas muito a sério. Por vezes problemas emocionais eram considerados como fator determinante desse quadro ou então um diagnóstico nebuloso de “fibrosite” era estabelecido. Isso porque acreditava-se que houvesse o envolvimento de um processo inflamatório muscular, daí a terminação “ite”. Atualmente sabe-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à da sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. O termo reumatismo pode ser justificado pelo fato de a fibromialgia envolver músculos, tendões e ligamentos. O que não quer dizer que acarrete deformidade física ou outros tipos de seqüela. No entanto a fibromialgia pode prejudicar a qualidade de vida e o desempenho profissional, motivos que plenamente justificam que o paciente seja levado a sério em suas queixas. Como não existem exames complementares que por si só confirmem o diagnóstico, a experiência clínica do profissional que avalia o paciente com fibromialgia é fundamental para o sucesso do tratamento. A partir da década de 80 pesquisadores do mundo inteiro têm se interessado pela fibromialgia. Vários estudos foram publicados, inclusive critérios que auxiliam no diagnóstico dessa síndrome, diferenciando-a de outras condições que acarretem dor muscular ou óssea. Esses critérios valorizam a questão da dor generalizada por um período maior que três meses e a presença de pontos dolorosos padronizados. Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles doenças graves, traumas emocionais ou físicos e mudanças hormonais. Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Por outro lado, os sintomas de fibromialgia podem provocar alterações no humor e diminuição da atividade física, o que agrava a condição de dor. Pesquisas têm também procurado o papel de certos hormônios ou produtos químicos orgânicos que possam influenciar na manifestação da dor, no sono e no humor. Muito se tem estudado sobre o envolvimento na fibromialgia de hormônios e de substâncias que participam da transmissão da dor. Essas pesquisas podem resultar em um melhor entendimento dessa síndrome e portanto proporcionar um tratamento mais efetivo e até mesmo a sua prevenção. Imprimir Busca no Site Área Médicos Sites Recomendados Fibromyalgia Network Site informativo, com material educacional para leigos, web links, newsletters, calendário de eventos, atualiações sobre diagnóstico e tratamento, etc... Leia mais... Apoio Sociedade Brasileira de Reumatologia Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor Apsen Farmacêutica Informações: 0800 165678 - infomed@apsen.com.br web by SiteCommerce.net

terça-feira, 6 de maio de 2014

De-Stress Estresse pode desencadear os sintomas da fibromialgia. Minimizando o estresse pode melhorar a sua qualidade de vida. Alguns destruidores do estresse comprovadamente são: yoga, exercícios, sono e meditação. Respirar profundamente e expirando lentamente também pode ajudar. Ou manter-se em atividades mentais que você gosta ou que fazem você se sentir melhor. Quando o stress atinge, siga um ou dois deles. Anote! Se o "fibrofog" está prejudicando o seu foco ou a memória, mantenha uma caneta e papel à mão. Faça listas de tarefas e até mesmo "para dizer" - para ajudar a lembrar tópicos que pretende conversar com o seu cônjuge ou familiares sobre. Mantenha listas de compras, nomes de amigos, e números de telefone e endereços importantes em um notebook que você carrega. Exercite-se regularmente Exercícios regulares de baixa intensidade, como caminhar ou fazer exercício em água quente, é um dos melhores tratamentos para a fibromialgia. Ela ajuda a diminuir a dor e a rigidez, reduzir o estresse, e pode aumentar a sua sensação de controle sobre seu fibromialgia. Você também pode dormir melhor. Fale com o seu médico ou com um fisioterapeuta sobre um bom programa de exercícios para você. Faça alguma imersão seriamente Imersão em um banho quente ou banheira de água quente pode relaxar os músculos tensos, reduzir a dor e ajudá-lo a mover-se mais facilmente. Se é difícil para você entrar e sair da banheira, tente uma sauna ou colocar um banquinho no chuveiro para que você possa sentar-se e deixe a água fazer o seu trabalho. O calor úmido pode aumentar as endorfinas, que bloqueiam os sinais de dor, e ajudá-lo a dormir mais profundamente. Descafeinados A cafeína pode agravar o estresse, tanto física como psicologicamente. Ela estimula o coração e o sistema nervoso central, e pode aumentar o nervosismo, ansiedade e insônia. Então descafeinar para desestressar. Para dormir melhor à noite evite a cafeína a partir do final da tarde de. Cuidado com cafeína no chocolate, café e alguns refrigerantes e chás Tenha alguns momentos do dia para você Fibromialgia pode representar desafios à saúde únicas e, tornar a vida complicada. Então, tenha um tempo para si mesmo todos os dias, como parte de seu tratamento. Dedique-se em um hobby, coloque uma música, descanse - o que faça você se sentir bem. Pode trazer mais equilíbrio à sua vida, ajudá-lo a combater o estresse e aumentar a sua energia para as coisas que você precisa fazer. Fazer o trabalho de forma a melhorar sua vida É o trabalho que vem deixando-o exausto e com dor? Elabore um plano flexível que funcione para você e seu chefe. Pergunte sobre o trabalho pode ser feito em casa num tempo parcial, ou definir o seu horário para mais cedo ou mais tarde, no dia em que você possa ser mais produtivo. No escritório, reorganize o seu espaço de trabalho para o conforto e fácil acessibilidade. Um fone de ouvido de telefone, bandeja de teclado, ou outros produtos possam ajudar a colocar menos estresse em seu corpo. Falar sobre Fibromialgia coloca pressão sobre você e aqueles ao seu redor. A comunicação é crítica. Não tente sempre colocar uma de cara feliz. Seus entes queridos precisam saber o que faz com que seus sintomas piorem. Plano de falar para o melhorar o dia. Tente se concentrar em um assunto e procurar soluções. E não tenha medo de pedir ajuda - de amigos, outros com fibromialgia, ou um psicólogo. Apenas diga não A fibromialgia é às vezes chamado de "doença invisível" - você pode me ver bem, mas me sinto mal. As pessoas podem esquecer o que você precisa priorizar e seu ritmo. Na pesagem das atividades, favores ou convites considerar se eles vão poder promover formas de exercícios ou relaxamento que você precisa para se sentir bem. É um passo para simplesmente dizer "não". E cumpri-lo. Faça seu quarto um santuário do sono Se você não está recebendo o suficiente descanso, definir um estilo em seu quarto de dormir. Reserve sua cama para dormir, e mantenha o quarto escuro, silencioso, fresco e livre de distrações. Mantenha um horário regular de sono sem seu computador ou um fim de noite assistindo TV. Em vez disso, relaxe com música relaxante ou um banho quente. Manter um diário Manter o controle de eventos, atividades, sintomas e alterações de humor pode ajudar você a cuidar de sua fibromialgia. Pode fazê-lo ciente de quando os sintomas começam e, ao longo do tempo, o que pode estar provocando-os. Depois, você pode trabalhar para eliminar os gatilhos ou aprender estratégias de enfrentamento para diminuir o seu impacto. Participar de um grupo de apoio Os grupos de apoio podem desempenhar um papel importante na vida das pessoas com uma doença crônica. Seja pessoalmente ou online, eles oferecem um lugar seguro para falar com outras pessoas que podem compartilhar suas frustrações e preocupações. Os grupos de apoio fornecer apoio emocional, informações e dicas para lidar. · No Brasil conte com a Abrafibro – Associação Brasileira dos Fibromiálgicos. Uma entidade on line, informal, que há mais de seis anos preocupa-se com a orientação, informação e apoio aos pacientes fibromiálgicos. São pacientes cuidando de pacientes e profissionais que, num trabalho voluntário, ajudam-nos falando a mesma linguagem. www.facebook.com/abrafibro.segundoperfil Fonte: http://www.webmd.com/fibromyalgia/ss/slideshow-fibro-coping-tips?ecd=wnl_fib_031114&ctr=wnl-fib-031114_ld-stry&mb=uA30JTD2N3zgES%409naFoweHnVev1imbCBLXaX73qsGU%3d -- Postado por Blogger no ABRAFIBRO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FIBROMIÁLGICOS em 5/02/2014 08:48:00 PM

sábado, 3 de maio de 2014

Daily Calendar

Seguidores

alongamento

alongamento

Notícias

Loading...

Follow by Email

dores e doenças autoimunes

Loading...
Loading...

saúde

Loading...